tito mouraz, open space office



as imagens não mostram mais do que uma realidade transitiva, numa paisagem natural paulatinamente em transmutação. São espaços imponentes únicos, de inegável impacto visual que conferem às imagens um grande conteúdo formal e plástico.”

A fotografia navega entre o visível e o invisível. Nela, não interessa tanto o que está fora de campo mas o que está por “detrás” do campo escolhido. Se a textura, a composição e a forma, parecem dominar a primeira abordagem a este belo trabalho de Tito Mouraz, uma análise menos superficial levará certamente ao questionamento acerca do alcance e dos porquês de se continuar a escavar.

Leave a Reply